sind Frequently Asked Questions, also häuig gestellte Fragen.

Rechts findest Du einige von diesen Fragen und natürlich die Antworten.


Fragezeichen

Quantos professores gays têm por aí?

Poucos de mais!

Falando sério:

Em geral considera-se que cerca de 5% da população mundial é composta por homossexuais. Em termos estatísticos essa proporção reflete-se também no ambiente profissional. Há indícios de que algumas profissões como a aquelas ligadas ao trabalho social, a proporção de homens homossexuais é ligeiramente maior que a média da proporção mundial. De qualquer maneira é possível especular estatisticamente que a cada 20 professores, um deles é homossexual. O mesmo vale para estudantes!

Como reconhecer um professor gay?

Se o professor movimentar descontroladamente suas mãos enquanto fala, tiver um look descolado e um sorriso brilhante, as chances são grandes...

Falando sério:

Não dá para colocar todos os professores gays num mesmo saco. Cada pessoa é um caso e por isso não dá para reconhece-los de acordo com alguns parâmetros gerais (além disso, qual seria a serventia disso?). No final das contas à questão se resume à pergunta: o professor já tocou nesse assunto perante membros da escola?

Existem muitos professores gays assumidos?

Cada vez mais. Se visto na parada gay, já é um sinal.

Falando sério:

Nós conhecemos muitos professores gays assumidos aqui na Alemanha. A maioria deles relata que tiveram uma experiência positiva após o “coming-out”. Dessa maneira eles contribuem para que a homossexualidade seja encarada de forma normal na escola.

No entanto cada professor gay deve decidir por si mesmo se ele quer se assumir para seus colegas, alunos e para a direção da escola. O medo existente de assumir-se muitas vezes é justificável. Seria ótimo se em todas as escolas reinasse um clima sem medo em relação à homossexualidade que estimulasse os professores a se assumir.

Como alunos, colegas de trabalho e pais reagem ao saber que o professor da escola é gay?

As experiências de professores abertamente gays são esmagadoramente positivas aqui na Alemanha. Problemas com outros professores e a direção são particularmente raros. No entanto já ouvimos relatos de professores gays que tiveram problemas ao tratarem de sua sexualidade de forma aberta, como ofensas agressivas e falta de solidariedade de seus colegas.

Um professor assumido pode receber punição administrativa por conta de sua homossexualidade?

Normalmente não. Na Alemanha sair do armário não justifica qualquer punição administrativa ou processo legal contra um professor. Em Berlim é inclusive considerado adequado pela administração da escola que o professor fale abertamente sobre o assunto com os alunos de maneira a servir como um exemplo vivo sobre a diversidade sexual dentro da escola.

Nas escolas religiosas as coisas tendem a funcionar de forma diferente. Você pode ler mais sobre essa situação específica em "Raus aus der Grauzone" (em alemão)

Professor gays costumam ter mais problemas na escola que professores heterossexuais?

Sim, eles torturam-se todos os dias para responder à pergunta: O que devo vestir hoje para ir pra escola?

Falando sério:

Professores abertamente gays muitas vezes são especialmente bem quistos nas escolas, especialmente entre professoras. Dada a sua experiência em lidar com pressões sociais, eles costumam mostrar competência em situações de conflito e por isso são respeitados por seus colegas. Mas, de novo: Não dá para colocar todos os professores gays num mesmo saco e generalizá-los.

As aulas com professores homossexuais são diferentes?

Esperemos que sim!

Falando sério:

Como são suas experiências? Escreva-nos e nós vamos postar o seu relato no nosso site!
Professores gays devem dar participar de aulas de educação sexual oferecidas pela escola?

Alguns professores – ou mesmo todos, dependendo da escola – devem estar aptos a passar ensinamentos específicos sobre o tema sexo e sexualidade aos alunos. Se o tema homossexualidade for abordado em um desses cursos, os professores gays podem contribuir de forma mais autêntica ao passo de que são pessoas que possuem experiência pessoal nesse tema. Em alguns países, ONG’s e associações auxiliam escolas orientando professores na preparação de aulas de educação sexual. Em Berlin temos alguns contatos. Confira nosso link: http://www.schwulelehrer.de/lehrer/infos.shtml

Existe material específico para tratar o tema homossexualidade em sala de aula?

Sim, há um vasto material. Para saber mais clique aqui e aqui: Material.

Besonders hervorheben möchten wir:

Bildung für Berlin

Lesbische und schwule Lebensweisen
Unterrichtsmaterial für Sek I und II für die fächer Biologie, Deutsch, Englisch, Ethik, Geschichte, Sozialkunde, Latein, Psychologie


und

Martin Ganguly: "Ganz normal anders - lesbisch, schwul, bi"

Lebenskundesonderheft zur Integration gleichgeschlechtlicher Lebensweisen. Ein Reader zur Ergänzung vorhandener Unterrichtsinhalte mit Theoriehintergrund und Praxisbeispielen.

Herausgegeben vom Humanistischen Verband Deutschlands, Landesverband Berlin

O que os professores do grupo do “Schwule Lehre” do GEW Berlin fazem afinal?

Compartilhamos fofocas de férias e tomamos café da tarde.

Falando sério :

Nós nos encontramos a cada duas semanas para discutir temas relacionados à diversidade sexual e educação. Através da troca de experiências profissionais, nós apoiamos uns aos outros em nosso trabalho.

Buscamos também manter contato com outros grupos de emancipação. Pode-se dizer que fazemos um trabalho de relações públicas para assuntos relacionados à escola e à diversidade sexual. Em contato com a comissão para as escolas do senado nós nos esforçamos não apenas para que esse tema esteja presente no plano de estudos de escolas de Berlin como também para que a homossexualidade seja apresentada aos alunos como uma orientação sexual equivalente e tão normal quanto à heterossexual.

Estamos empenhados também em garantir que a vida de alunos gays nas escolas melhore. Nesse contexto a distribuição da brochura “Sie liebt sie. Er liebt ihn” (Ela a ama. Ele o ama.)", conduzida pela comissão das escolas do Senado e com a participação do GEW, busca oferecer instruções a cerca do contexto psicossocial de alunos e alunas homossexuais. Outro objetivo da brochura é a estimular a necessidade de ação e a pressão por mudanças concretas dentro das escolas.

E é claro que também temos sempre uma resposta para sua pergunta!

Falando sério:

Se você tiver qualquer pergunta, não hesite em nos contatar. Nós nos esforçaremos para responder a sua pergunta.